2. Quando enviar um relatório de problema

Existem muitos tipos de problemas, e nem todos eles devem gerar um relatório de problema. É claro, ninguém é perfeito e em algumas ocasiões você terá certeza de que encontrou um bug em um determinado software quando na verdade você compreendeu errado a sintaxe de um comando ou mesmo cometeu um erro de digitação em um arquivo de configuração (o que por sua vez pode indicar uma documentação pouco detalhada ou então um tratamento inadequado do erro por parte da aplicação). Existem ainda muitas outras situações nas quais enviar um relatório de problema claramente não é a melhor ação a ser tomada, e só vai servir para frustrar a você e aos desenvolvedores. Em contrapartida, existem situações nas quais é recomendado que você nos envie um relatório de problema sobre outras coisas que não um bug, como por exemplo para nos enviar uma sugestão de melhoria ou um pedido de uma nova funcionalidade.

Então como você irá diferenciar o que é e o que não é um bug? Existe uma regra de ouro que diz que o seu problema não é um bug se ele pode ser expresso como uma pergunta (normalmente na forma Como eu faço X ou Onde eu posso encontrar Y). Na maior parte das vezes não será sempre tão claro desta forma, mas a regra acima cobre a grande maioria dos casos. Se você estiver procurando por uma resposta, considere enviar a sua pergunta para lista de discussão para perguntas gerais sobre o FreeBSD.

Veja alguns casos nos quais pode ser apropriado enviar um relatório de problema sobre algo que não é um bug:

Um bug que não pode ser reproduzido, raramente será corrigido. Se o bug ocorreu uma única vez e você não consegue reproduzi-lo, e se aparentemente ele não ocorre com mais ninguém, as chances são de que nenhum dos desenvolvedores será capaz de reproduzir ou de saber o que está errado. Isso não significa que não seja possível, mas significa que a probabilidade do seu relatório de problema resultar na correção do bug é muito pequena. Para piorar a situação, muitas vezes este tipo de erro é, na realidade, causado por falhas nos discos rígidos ou por superaquecimento do processador — sempre que possível você deve tentar excluir estas causas antes de enviar um relatório de problema.

Em seguida, para decidir a quem você deve apresentar o seu relatório de problema, você precisa entender que o FreeBSD é composto de vários elementos de software diferentes:

A seguir você deve verificar se o problema é ou não atual. Existem poucas coisas que aborrecem um desenvolvedor mais do que receber um relatório de problema a respeito de um bug que ele já corrigiu.

Se o problema está na base do sistema, você deverá primeiro ler a seção do FAQ sobre Versões do FreeBSD, se você não estiver familiarizado com o tema. Não é possível para o FreeBSD corrigir problemas em versões muito antigas do sistema base, desta forma enviar um relatório de problema sobre um bug em uma versão muito antiga vai provavelmente resultar apenas em um desenvolvedor aconselhando que você atualize o seu sistema para uma versão suportada para ver se o problema ainda ocorre. A equipe de Security Officer mantém a lista de versões suportadas.

Se o problema está em um port, observe que você deverá primeiro atualizar seu sistema para a versão mais atual da coleção de ports e ver se o problema ainda se aplica. Devido ao ritmo acelerado de mudanças nestas aplicações, é inviável para o FreeBSD suportar qualquer coisa que não seja obrigatoriamente a versão mais recente, e problemas com uma versão antiga do aplicativo simplesmente não podem ser corrigidos.

Este, e outros documentos, podem ser obtidos em ftp://ftp.FreeBSD.org/pub/FreeBSD/doc/

Para perguntas sobre FreeBSD, leia a documentação antes de contatar <questions@FreeBSD.org>.

Para perguntas sobre esta documentação, envie e-mail para <doc@FreeBSD.org>.